Contra a crise econômica enfrentada pelo Brasil, escolas de três municípios da Região Metropolitana de São Luís (MA) apostam na educação financeira para driblar o ‘desânimo’. Pelo menos cinco mil estudantes de 28 escolas já participam do programa DSOP de Educação Financeira nas Escolas.

Publicidade
Curta e compartilhe

Por meio das aulas, elas têm um melhor entendimento do momento de crise, além de serem preparadas para que no futuro saibam administrar melhor as finanças.

O que temos observado é que as escolas que ensinam educação financeira têm obtido resultados surpreendentes no comportamento das crianças e adolescentes em relação ao dinheiro, principalmente pelo fato de passarem a ter noção do consumo consciente e poupar para realização de sonhos
Antônio Oscar Pereira Filho, educador financeiro e diretor da unidade em São Luís

A metodologia envolve capacitação de professores e palestra para pais, além de utilização de ferramentas on-line.

A escola é a melhor maneira de englobar diversos públicos de uma só vez na educação financeira, tornando o processo mais eficiente. Assim, crianças, jovens e adultos (corpo docente, pais/responsáveis e comunidade) têm a oportunidade de aprender como utilizar e administrar os recursos financeiros, sendo que, para cada faixa etária, há um material e uma linguagem apropriados para melhor entendimento e aproveitamento das informações
Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin)

Em todo o país, já são mais de 600 escolas participantes do mesmo projeto.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.