Técnicos-administrativos da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) aderiram ao movimento nacional de greve que atinge 53 instituições federais de ensino superior em todo o Brasil e tem como pautas principais o cumprimento do acordo de greve realizado entre a categoria e o governo federal em 2015 e a não aprovação da PEC 55 (antiga PEC 241, que cria o teto dos gastos públicos), que entra em votação no dia 29 no Senado Federal. A decisão foi tomada durante assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Terceiro Grau no Estado do Maranhão (Sintema) realizada no dia 24, e a paralisação tem início no dia 30.

Assembleia geral do Sintema decidiu por paralisação da categoria
Assembleia geral do Sintema decidiu por paralisação da categoria
Publicidade
Curta e compartilhe

Além das pautas nacionais, os trabalhadores têm pauta reivindicatória interna que será apresentada à reitora da universidade, professora Nair Portela, com pontos que vão desde a redução da jornada para 30 horas semanais (já implementada em várias universidades) sem redução de salários, e o fim do assédio moral por parte de algumas chefias, dentre outros.

A UFMA ainda não se pronunciou oficialmente sobre a paralisação dos servidores.

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.