Tenho quase certeza que muita gente, ao ler o título dessa publicação – ‘Qual a temperatura ideal para servir vinho afinal?’ –, vai se decepcionar ao fim dele. É que não vou me debruçar na arte de servir ou degustar vinho – até porque não possuo paladar para isso, muito menos sofisticação suficiente para tratar sobre o tema –, mas vou me ater no motivo que me levou a escrever sobre isso.

Coleta seletiva: veja onde descartar resíduos recicláveis em São Luís
Publicidade
Curta e compartilhe

Ouvia uma rede nacional de rádio, e eis que começa um quadro que falaria sobre a temperatura ideal para servir vinho. Me interessei, e segui ouvindo. O apresentador do programa falava sobre suas férias na Austrália e a aflição que passou em diversos restaurantes que, segundo ele, serviam os vinhos tintos em temperatura ambiente, e não resfriados.

O apresentador foi amparado pelo seu comentarista, especialista no assunto, que defendeu que esse é um ‘problema internacional’, concluindo que ‘é um crime, é um desperdício você servir um vinho na temperatura que não é adequada para ele’.

Foram cinco minutos dessa conversa, e, ao fim, fiquei sem a resposta da pergunta: qual a temperatura ideal para servir vinho?

As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel
Umberto Eco, escritor

Me incomodou constatar que, num meio de comunicação de massa, prevaleça a superficialidade que domina as mídias sociais – as quais ‘deram o direito à fala a legiões de imbecis’, segundo defendeu Umberto Eco –; o ar de superioridade de um emissor, disparando ao apontar os erros, sem apresentar soluções; e o verdadeiro discurso do ‘achismo’.

Mas, afinal, qual a temperatura ideal para servir vinho?

Na verdade a confusão vem de longe. É natural os europeus – ‘donos’ da tradição – estranharem que, em um país tropical como o nosso ou como a Austrália – como no exemplo das férias do locutor da rede de notícias –, o vinho seja resfriado. É que, normalmente, eles são servidos em temperatura ambiente. Mas a temperatura ambiente por lá gira em torno da temperatura ideal para que o vinho seja servido, que varia para cada tipo.

Temperatura ideal para o vinho varia para cada tipo
Temperatura ideal para o vinho varia para cada tipo

Em alguns casos, ao contrário de resfriado, o vinho precisa ser mesmo é aquecido gradualmente. O importante é ter em mente que o vinho não pode ser armazenado ou servido nem muito quente, nem muito frio; para não perder suas propriedades.

Custava ter dito isso no comentário? Acho que não custaria mais de um minuto dentro do quadro. Aliás, a ausência de uma informação tão simples me instigou a pesquisar mais sobre o assunto na internet, tornando totalmente desnecessário acompanhar o assunto na prestigiada emissora de rádio.

Por fim, deixo vocês com um material preparado pela produtora e exportadora chilena Concha y Toro, que explica muito bem, afinal, qual a temperatura ideal para servir vinho.

Fica a dica. 😉

Gostou do conteúdo? Então, deixe seu comentário! Ele é muito importante para mim.

Envie sua sugestão de novos assuntos pelo Messenger. Curta e siga o Blog do Maurício Araya no Facebook, Twitter e Instagram; e inscreva-se no canal no YouTube. Receba, ainda, novidades e ofertas exclusivas por e-mail inscrevendo-se na newsletter.